quarta-feira, 2 de agosto de 2006

O mundo que apaga quando as estrelas se acendem

O mundo que apaga quando as estrelas se acendem...

Vidas perdidas, vendidas ao vento
Corpos vendidos, perdidos no tempo...
Desejos, punhais que ferem sorrisos,
Armas letais de gestos imprecisos...
Silêncios secretos, sufoco que mata
Gemidos perdidos, gritos que assaltam
As luzes que ofuscam o escuro que ata
As vozes perdidas, as forças que faltam...
Olhares indiferentes e cruéis que suspendem
O mundo que apaga quando as estrelas se acendem…

2 comentários:

Klaudia disse...

Bonito texto.
Beijocas

Çàh disse...

oLá kLaudia =)És Bué de kidah`Z!
Linda... esTe Texto remete-nos para a problemática das mulheres da vida... Bem Apanhadas as meTáforas e daRia uMa exceLenTe Banda a Sonora. Ainda Tá em aberTo a hipóTese de Se Passar à Produção da Curta-meTragem, quaNdo Tiver mais desenvoLvimenTos, enTrarem em conTacTo Consigo. Continuação do boM TrabaLho. Beijuh